Notícias


Consumo de calcário cresce 16%, mas ainda está defasado


O uso de calcário agrícola no Brasil cresceu 16% na comparação entre os anos de 2017 e 2018. Porém, a aplicação do corretivo de acidez ainda segue abaixo do recomendado, o que afeta os resultados da safra brasileira e também as finanças dos agricultores.

Dados divulgados pela Associação Brasileira dos Produtores de Calcário Agrícola (ABRACAL) mostram que o consumo do corretivo saltou de aproximadamente 37 para 43 milhões de toneladas na análise entre os dois anos.

O estado campeão no consumo é Mato Grosso, com 9,9 milhões. Agricultura e pecuária em Minas Gerais utilizaram 5 milhões de toneladas do produto. Dados do Ministério da Agricultura (MAPA) e dos sindicatos estaduais da indústria do setor compõem o estudo.

"Temos investido continuamente em divulgação e acompanhamento técnico de nossos clientes. O Brasil todo precisa de calcário, pois apresenta terras ácidas que comprometem o rendimento das culturas e a qualidade das pastagens", diz o presidente da ABRACAL, Oscar Alberto Raabe.

A associação avalia que o consumo necessário deveria ser de, pelo menos, 80 milhões de toneladas. "Isso impactaria diretamente a produção e a planilha de custo do agricultor. O calcário ajuda, por exemplo, a potencializar os resultados obtidos com o adubo, cujo custo por tonelada tem influência do câmbio", lembra Raabe.

A tecnologia que garantiu o avanço na safra brasileira inclui a correção da acidez de solo. De forma planejada, a aplicação de calcário ajuda no mix de ações que garantem o avanço. O estado do Mato Grosso fez a quantidade de sacas de soja saltar 25% com a calagem, processo de melhoria do pH do solo resultante do uso do calcário, entre outros produtos.

O meio ambiente também agradece. São Paulo usa o calcário para recuperar parte das frentes perdidas para a erosão, o que afeta os resultados com a cana e a laranja. No Rio Grande do Sul, as influências climáticas, cada vez mais intensas, são amenizadas com a correção do solo em áreas com grãos.

O equilíbrio do solo ainda garante menor consumo de água no processo de irrigação. "Seguiremos mostrando às autoridades e aos produtores rurais a importância da calagem", diz Raabe.

Conheça as estatísticas de consumo e produção de calcário desde 1992 – clique aqui.


Data: 14/06/2019
Fonte: Assessoria de Imprensa - ABRACAL
Voltar


Rua 3, nº 1.896 - Centro
Rio Claro/SP - CEP: 13.500-162
Telefone (0xx19) 3524-3509
E-mail: abracal@terra.com.br